sexta-feira, 5 de junho de 2015

Minha carta de intenções comentada ou como você pode fazer a sua.

A minha assinatura, que é basicamente a minha letra um pouco mais rabiscada.
Ou menos. Não tenho certeza. 

Um dos (muitos) documentos exigidos para a expedição do visto português e de muitos outros, é a escrita de uma carta de intenções por parte do candidato a cidadão temporário de um novo país. Um tipo de redação não muito valorizada nas escolas, apesar da sua importância para a 'vida real'. Após ler vários exemplos pela internet e muitas correções, consegui escrever a minha, que ainda sim não ficou perfeita. Decidi então postá-la aqui, para quem sabe inspirar aqueles que também precisam ou precisarão um dia escrever muito. Cada parágrafo foi comentado logo abaixo, para deixar o mais detalhado possível. 

Curitiba, 03 de junho de 2015.¹


Ao Vice-Consulado de Portugal em Curitiba.²


Eu, Luiza Fernanda Pereira Santos, brasileira, solteira, nascida em 12 de dezembro de 1997, filha de Marcio J. S. e Wanda E. P., portadora do documento de viagem XXxxxxxx, venho por meio desta carta requerer a concessão do visto de estudante para cursar uma Licenciatura em Relações Internacionais, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Portugal.³

Estudar no exterior, especialmente na Europa, foi sempre para mim não só um sonho, mas também um objetivo. As razões para isso são as mais diversas, e vão desde o conhecimento de uma nova cultura à inegável qualidade das centenárias universidades do Velho Continente. Infelizmente, os preços da maioria delas e a burocracia do processo de seleção dificultavam a concretização da ideia.4

Quando surgiu a oportunidade de ingressar na Universidade de Coimbra, da qual eu tanto tinha ouvido falar durante as minhas aulas de história, comecei logo a providenciar a documentação necessária para a candidatura. O processo era bem simples, e consistia em adaptar a minha nota no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) aos padrões portugueses, em uma escala que ia de 0 a 20. Cada curso possuía uma ponderação diferente, condizente à área escolhida. No caso de Relações Internacionais, consideravam-se as notas de Ciências Humanas e suas tecnologias, de Matemática e suas tecnologias e claro, da redação. Ao inserir na fórmula disponibilizada, era possível obter a nota final, que foi utilizada como único critério para a aceitação. O resultado saiu cerca de um mês depois, e foi recebido com muita alegria.5

Iniciou-se então a organização para a ida ao país, uma estadia que durará ao menos três anos. A expectativa é grande, devido à reputação da universidade e da qualidade do curso ofertado. As experiências lá vividas serão importantes para um desenvolvimento e amadurecimento pessoal. Já os conhecimentos lá adquiridos também serão de extremo valor, pois criarão inúmeras oportunidades para uma carreira profissional de sucesso em qualquer parte do globo.6


Atenciosamente,7

8




¹ Isso é o que eu deveria ter colocado. Eu acabei esquecendo de colocar a data, e tive que inseri-la à mão na hora. Acabou ficando bem feio, por isso não se esqueça desse detalhe!

² Pessoa ou órgão para quem você escreve.

³ Suas informações pessoais, e a parte menos maleável da carta. Nome, nacionalidade, estado civil, data de nascimento, nome dos pais e número do passaporte são informações indispensáveis. Escreva também o que você pretende fazer no país de chegada.

A partir desse parágrafo, fica tudo mais livre. Seja sincero, para que não soe artificial. Apesar de ser uma carta formal, utilize um vocabulário com o qual você esteja acostumado para expressar o quanto a sua viagem é importante para você.

Um dos critérios que o Consulado daqui de Curitiba pediu em suas orientações, era para que se explicasse como foi conseguido o ingresso na universidade escolhida. Então é bom deixar bem claro como o seu objetivo foi alcançado.

 Em alguns dos sites que eu consultei, eles recomendavam deixar bem claro que você retornaria ao país após terminado seu objetivo no país para o qual você imigrará temporariamente. Eu utilizei então o meu curso, Relações Internacionais, para justificar o meu não interesse em permanecer em um único país para o resto da minha vida.

7 Aqui você pode usar uma daquelas frases 'clássicas' (ou clichês, dependendo da sua opinião) para encerrar o documento. Eu tenho uma 'coisa' com a palavra 'atenciosamente', então eu sempre a utilizo, mesmo em e-mails.

Para encerrar, você assina à mão, de preferência com uma caneta de tinta preta.

E você, já precisou escrever uma carta de intenções? 
Como foi a experiência?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...